Missão Hidrográfica Açores 2019

O Instituto Hidrográfico (IH), através do navio da Marinha Portuguesa NRP D. Carlos I e da Brigada Hidrográfica (BH), em colaboração com o Governo Regional dos Açores (GRA) e a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC), encontra-se a realizar um levantamento hidrográfico nos Açores.

A Missão Hidrográfica Açores 2019 foi desenhada pelo IH, em concordância com as atribuições e objetivos da Marinha Portuguesa no que respeita à investigação científica, nomeadamente, no que concerne ao programa de Mapeamento do Mar Português (http://www.hidrografico.pt/iprojeto/16), e no âmbito da cooperação institucional existente com o GRA e com a EMEPC.

O NRP D. Carlos I será empenhado em duas atividades:

  • Levantamentos hidrográficos em cooperação com a EMEPC: Colaboração no sentido de mapear em detalhe áreas de interesse comum.
  • Levantamentos hidrográficos em cooperação com o GRA: a realizar em diversos montes submarinos localizados entre a Ilha das Flores e a zona de interesse para a EMEPC.
    Os montes submarinos são estruturas topográficas que se elevam do fundo submarino e têm o pico abaixo da superfície do mar. Existem inúmeros montes submarinos em águas portuguesas, muitos deles ainda não documentados. A relevância do seu estudo prende-se com o facto de serem considerados locais diferenciados, na sua forma, composição e existência de fenómenos oceanográficos específicos e, também, em termos de biodiversidade e de potenciais recursos, que importa identificar e quantificar a fim de melhorar a sua proteção e gestão sustentável, através de regulamentação adequada. A determinação do relevo daqueles montes com elevado detalhe é a base fundamental que permitirá sustentar qualquer estudo de outra natureza ou regulamentação que se venha a realizar.

Paralelamente aos trabalhos do navio, foram mobilizadas duas equipas da BH. Uma será desembarcada no Grupo Ocidental conjuntamente com uma embarcação de sondagem do IH, enquanto a outra já se encontra em atividade no Grupo Central na embarcação do GRA Águas Vivas. Os trabalhos da BH têm como objetivos fundamentais a recolha de informação batimétrica de elevada resolução, com identificação de estruturas rochosas e zonas sedimentares, nas áreas do espaço marítimo adjacente ao Arquipélago dos Açores, com o propósito de colmatar lacunas de conhecimento, isto é, em áreas onde existem atualmente falta de dados e/ou a informação existente é de baixa resolução, para apoio ao processo de Ordenamento do Espaço Marítimo dos Açores e para contribuir para a segurança da navegação. Neste âmbito, estão previstos os seguintes trabalhos:

  • Grupo Ocidental: continuação dos trabalhos realizados em 2018, com enfoque no Porto da Casa (Corvo) e nas faixas costeiras compreendidas entre a linha de costa e os 50 m de profundidade da Ilha do Corvo e na zona noroeste na Ilha das Flores.
  • Grupo Central: levantamentos hidrográficos dos portos de S. Jorge e nas faixas costeiras compreendidas entre a linha de costa e os 50 m de profundidade, das ilhas de S. Jorge, Pico e Faial (norte).

Por fim, o IH irá ainda colaborar com o GRA ao nível de processamento de imagens satélite e, se possível, de fotografias obtidas por meios aéreos, de modo a derivar batimetria nas zonas junto a costa onde, por segurança das equipas, não é possível a aquisição de dados através de métodos acústicos, usualmente utilizados em Hidrografia.

O NRP D. Carlos I largou da Base Naval de Lisboa no passado dia 12 de julho, efetuando a sua primeira paragem, a 18 de julho, na Ilha do Faial, e regressará a Lisboa no final do mês de agosto.

O programa de Mapeamento do Mar Português é um programa inclusivo que promove e encoraja a oportunidade de colaboração e a participação de entidades portuguesas, que realizam atividades em prol das ciências do mar. A Missão Hidrográfica Açores 2019 concretiza, uma vez mais, a relevância dada pelas entidades participantes ao trabalho de investigação efetivo realizado no Mar Português.

  2019-07-19    278 / 277 / 45663;